Human papillomavirus and coinfections with Chlamydia trachomatis, Gardnerella vaginalis, and Trichomonas vaginalis in self-collected samples from female sex workers in the Central-Western region of Brazil

Larissa Z. A. Lugo; Camila M. B. Jacob; Ana Paula Machado; Flávia G. Almeida; Leandro S. Ávila; Thiago T. M. Prata; Cacilda T. J. Padovani; Alda Maria T. Ferreira; Carlos Eurico S. Fernandes; Inês Aparecida Tozetti
J. Bras. Patol. Med. Lab. 2018;54(1):46-51
DOI:10.5935/1676-2444.20180010

RESUMO

INTRODUÇÃO: O papilomavírus humano (HPV) está intimamente associado ao câncer cervical, e a presença de coinfecções, como por Chlamydia trachomatis, Gardnerella vaginalis e Trichomonas vaginalis, pode potencializar ou facilitar a infecção por HPV. As mulheres profissionais do sexo são consideradas vulneráveis à aquisição dessas infecções devido à exposição aos fatores de risco. Objetivo: Determinar a infecção por HPV, os tipos virais e as coinfecções em amostras autocoletadas de mulheres profissionais do sexo.
MÉTODOS: Amostras autocoletadas de mulheres profissionais do sexo, do canal vaginal e da cérvice uterina, foram submetidas a detecção do HPV-ácido desoxirribonucleico (DNA), genotipagem viral por reação em cadeia da polimerase (PCR) tipo específica e restriction fragment length polymorphism (RFLP) e detecção de coinfecção.
RESULTADOS: O HPV-DNA foi detectado em 19,4% das amostras, sendo os tipos HPV 31, 6 e 53 os mais frequentes. Houve predominância de HPV de alto risco (HR-HPV) e elevada presença de infecções múltiplas (84,6%). A presença de coinfecções foi observada tanto para HPV e C. trachomatis quanto para HPV e G. vaginalis. Observou-se também que mulheres profissionais do sexo que não fazem uso de preservativos e aquelas que não realizam o exame citológico rotineiramente estão predispostas à aquisição da infecção causada pelo HPV.
CONCLUSÃO: Os resultados obtidos ressaltam a importância de estudos mais abrangentes entre as populações vulneráveis, objetivando estabelecer medidas para a conscientização sobre os riscos de aquisição das infecções sexualmente transmitidas, bem como auxiliar estudos futuros para introdução de vacinas contra o HPV com maior cobertura de tipos virais.

Palavras-chave: infecções por papilomavírus; coinfecção; profissionais do sexo.

ABSTRACT

INTRODUCTION: Human papillomavirus (HPV) is intimately associated with cervical cancer, and the presence of coinfections, such as with Chlamydia trachomatis, Gardnerella vaginalis and Trichomonas vaginalis, may potentiate or facilitate HPV infection. Female sex workers are considered vulnerable to the acquisition of these infections due to exposure to risk factors. Objective: To determine HPV infection, viral types and coinfections in self-collected samples from female sex workers.
METHODS: Self-collected samples from female sex workers, of vaginal canal and uterine cervix, were subjected to HPV-deoxyribonucleic acid (DNA) detection, viral genotyping by type-specific polymerase chain reaction (PCR), restriction fragment length polymorphism (RFLP), and the detection of coinfection.
RESULTS: HPV-DNA was detected in 19.4% of the samples, and HPV 31, 6, and 53 were the most frequently detected types. There was a predominance of high-risk oncogenic HPV (HR-HPV) and a strong presence of simultaneous infections with multiple HPV types (84.6%). Coinfections with both HPV and C. trachomatis, and HPV and G. vaginalis were detected. The variables that were statistically associated with HPV infection and the presence of multiple infections were non-use of condoms and non-compliance with regular cervical cytology screening.
CONCLUSION: The results highlight the importance of more comprehensive studies among vulnerable populations, aiming to establish measures to raise awareness about the risks of contracting sexually transmitted infections, as well as to support future studies for introducing HPV vaccines with wider coverage of viral types.

Keywords: papillomavirus infections; coinfection; sex workers.