Creatinine and cytokines plasma levels related to HLA compatibility in kidney transplant patients

Lorraine V. Alves; Marcelo José O. Maia; Fernanda F. C. Nunes; Henrique P. B. Magalhães; Daniela A. F. Afonso; Ana Paula L. Mota
J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(5):303-309
DOI:10.5935/1676-2444.20150049

ABSTRACT

INTRODUCTION: The success of kidney transplantation depends on prevention of organ rejection by the recipient’s immune system, which recognizes alloantigens present in transplanted tissue. Human leukocyte antigen (HLA) typing is one of the tests used in pre-renal transplantation and represents one of the most important factors for a successful procedure.
OBJECTIVE: The present study evaluated creatinine and cytokines plasma levels in kidney transplant patients according to pre-transplant HLA typing.
METHODS: We assessed 40 renal transplanted patients selected in two transplant centers in Belo Horizonte (MG).
RESULTS: Patients were distributed into three groups according to HLA compatibility and, through statistical analysis, the group with more than three matches (H3) was found to have significantly lower post-transplant creatinine levels, compared to groups with three or fewer matches (H2 and H1, respectively). The median plasma levels of cytokines interleukin 6 (IL-6), tumor necrosis factor alpha (TNF-α), and interleukin 10 (IL-10) were evaluated according to the number of matches. Pro-inflammatory cytokines (IL-6 and TNF-α) were significantly higher in groups with lower HLA compatibility. On the other hand, the regulatory cytokine IL-10 had significantly higher plasma levels in the group with greater compatibility between donor and recipient.
CONCLUSION: These findings allow us to infer that pre-transplant HLA typing of donors and recipients can influence post-transplant renal graft function and may contribute to the development and choice of new treatment strategies.

Keywords: renal transplantation; creatinine; cytokines; HLA.

RESUMO

INTRODUÇÃO: O sucesso de um transplante renal depende da prevenção da rejeição ao órgão por parte do sistema imune do receptor ao reconhecer aloantígenos presentes no tecido transplantado. A tipagem de antígenos leucocitários humanos (HLA) é um dos testes empregados no pré-transplante renal e constitui um dos fatores mais importantes para o transplante bem-sucedido.
OBJETIVO: O estudo em questão avaliou os níveis plasmáticos de creatinina e citocinas em pacientes transplantados renais em função da tipagem HLA realizada no período pré-transplante.
MÉTODOS: Foram avaliados 40 pacientes transplantados renais de dois centros de transplantes em Belo Horizonte (MG).
RESULTADOS: Os pacientes foram distribuídos em grupos de acordo com o número de compatibilidades HLA e constatou-se, por meio de análises estatísticas, que o grupo com mais de três compatibilidades (H3) apresentou níveis significativamente menores de creatinina pós-transplante em relação aos grupos com três ou menos compatibilidades (H2 e H1, respectivamente). As medianas dos níveis plasmáticos das citocinas interleucina 6 (IL-6), fator de necrose tumoral alfa (TNF-α) e interleucina 10 (IL-10) também foram avaliadas em função do número de compatibilidades. Observou-se que as citocinas pró-inflamatórias (IL-6 e TNF-α) estavam significativamente maiores nos grupos com menor compatibilidade HLA. Por outro lado, a citocina reguladora IL-10 apresentou níveis plasmáticos significativamente maiores no grupo com mais compatibilidades entre doador e receptor.
CONCLUSÃO: Esses achados permitem inferir que a tipagem HLA de doadores e receptores pré-transplante pode influenciar na função renal do enxerto pós-transplante, bem como contribuir para o desenvolvimento e a escolha de novas estratégias de tratamento.

Palavras-chave: transplante renal; creatinina; citocinas; HLA.