Immunohistochemical study of macrophages subpopulations associated with squamous cell carcinoma of the tongue, with and without metastasis

Natália G. Barbosa; Melka C. Sá; Leão P. Pinto; Roseana A. Freitas
J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(6):415-421
DOI: 10.5935/1676-2444.20150064

ABSTRACT

INTRODUCTION: Stromal cells interact with tumor cells and play an important role in cancer invasion and metastasis. Tumor-associated macrophages (TAMs) can exhibit M1 phenotype, important immune effector cells, or M2 phenotype, able to suppress the function of M1 macrophages and influence angiogenesis and tissue repair. The CD68 antibody recognizes M1 and M2 macrophages, whereas CD163 antibody is specific only to identify M2 macrophages.
OBJECTIVE: To investigate the presence of TAMs in a number of cases squamous cell carcinoma (SCC) of the tongue by associating it with the occurrence of metastasis.
MATERIAL AND METHODS: Immunohistochemistry was used to evaluate the immunopositivity for CD68 and CD163 in 27 cases of SCC of the tongue.
RESULTS: The percentage of CD68 positive macrophages was higher than CD163 positive macrophages in all specimens studied. Comparing CD163 and CD68 immunostaining in the studied groups, it was observed that cases without metastasis had a higher percentage of CD68 positive cells in relation to CD163 positive cells, which was statistically significant.
CONCLUSION: Considering these results, there was a predominance of M1 macrophages in SCC of the tongue cases without metastasis, suggesting the influence of these cells in clinical behavior of the lesion.

Keywords: squamous cell carcinoma; macrophages; cancer of the tongue; immunochemistry.

RESUMO

INTRODUÇÃO: As células do estroma interagem com as células neoplásicas e desempenham papel importante na invasão e na metástase do câncer. Os macrófagos associados ao tumor (TAMs) podem se apresentar com fenótipo M1, importantes células efetoras, ou fenótipo M2, capazes de suprimir a função dos macrófagos M1 e influenciar na angiogênese e no reparo tecidual. O anticorpo CD68 reconhece os macrófagos M1 e M2, enquanto o anticorpo CD163 é específico para a identificação apenas de macrófagos M2.
OBJETIVO: Investigar a presença dos TAMs em uma série de casos de carcinoma epidermoide (CE) de língua, associando-a à ocorrência de metástase.
MATERIAL E MÉTODOS: A técnica imuno-histoquímica foi utilizada para avaliar a imunopositividade ao CD68 e CD163 em 27 casos de CE de língua.
RESULTADOS: A porcentagem de macrófagos CD68 positivos foi maior do que a de macrófagos CD163 positivos em todos os espécimes estudados. Comparando a imunomarcação de CD68 e CD163 nos grupos estudados, verificou-se que nos casos sem metástase havia maior proporção de células CD68 positivas em relação às CD163 positivas, o que foi estatisticamente significativo.
CONCLUSÃO: Diante desses resultados, observou-se a predominância de macrófagos M1 em casos de CE de língua sem metástase, sugerindo a influência dessas células no comportamento clínico da lesão.

Palavras-chave: carcinoma de células escamosas; macrófagos; neoplasias da língua; imuno-histoquímica.