Evaluation of semi-automated cells counting in peritoneal fluid

Daikelly I. Braghirolli; Patricia Pranke; Luciane N. Calil
J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(4):224-228
DOI:10.5935/1676-2444.20150037

ABSTRACT

INTRODUCTION: Currently, the cytological analysis of biological fluids, such as peritoneal fluid, is performed by manually cells counting in Fuchs-Rosenthal chamber. However, this method has a number of limitations. Because of these limitations, automatic counters have been evaluated for cell counting in this type of sample in order to make it faster and more reliable test.
OBJECTIVE: The aim of this study is to compare the manual and semi-automated leukocytes and erythrocytes counting in peritoneal fluid.
MATERIALS AND METHODS: The samples were analyzed manually and using the CountessTM (Invitrogen).
RESULTS: The results showed that although there is a correlation between the two counting methods, the correlation is relatively low, for both leukocytes and erythrocytes analysis.
CONCLUSION: The results suggest that peritoneal fluid should continue to be analyzed in Fuchs-Rosenthal chamber. However, further studies should be conducted with a greater number of samples to investigate the possibility of using automated cells counting in serous fluids and, thus, provide greater speed and quality of results.

Keywords: peritoneal fluid; ascites; cell count; body fluids.

RESUMO

INTRODUÇÃO: Atualmente, a análise citológica de líquidos biológicos, como líquido peritoneal, é realizada por meio da contagem manual de células, em câmara de Fuchs-Rosenthal. Porém, esse método apresenta uma série de limitações. Com isso, contadores automáticos têm sido avaliados para a contagem de células nesse tipo de amostra a fim de tornar esse exame mais rápido e confiável.
OBJETIVO: Comparar a contagem manual e semiautomatizada de leucócitos e eritrócitos em líquido peritoneal.
MATERIAIS E MÉTODOS: As amostras foram analisadas manualmente e no contador de células CountessTM (Invitrogen).
RESULTADOS: Os resultados mostraram que apesar de existir correlação entre os dois métodos de contagem, essa correlação é relativamente fraca, tanto para análise de leucócitos como para de eritrócitos.
CONCLUSÃO: Esses resultados sugerem que o líquido peritoneal deve continuar a ser analisado em câmara de Fuchs-Rosenthal, contudo novos estudos devem ser realizados, com maior número de amostras, para investigar a possibilidade do uso de automação na contagem de células em líquidos serosos e, assim, proporcionar maior agilidade e qualidade no resultado.

Palavras-chave: líquido peritoneal; ascite; contagem de células; fluidos corpóreos.