Implementation of criteria for automatic release of clinical chemistry test results in a laboratory at an academic public hospital

Myriam S. Feitosa; Daniel Henrique Bücker; Silvana Maria E. Santos; Leonardo S. Vasconcellos
J. Bras. Patol. Med. Lab. 2016;52(3):149-156
DOI: 10.5935/1676-2444.20160026

ABSTRACT

INTRODUCTION: Autoverification is the release of laboratory test results from clinical instruments to hospital interface, or to patients’ records, with no human intervention. Verification rules are inserted in the middleware and/or in the laboratory information system (LIS), based on criteria established by the laboratory. As a result, it ensures that every result is consistently reviewed in the same way, improving the entire verification process and patient safety.
OBJECTIVE: Describe the implementation of autoverification of clinical chemistry tests results at the core laboratory of Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC/UFMG), Brazil.
MATERIAL AND METHODS: Twenty-six automated chemistry assays were chosen. They were fully automated including internal quality control, interfaced with LIS, available 24 hours a day, seven days a week. Rules were set up in the middleware and in the LIS. Instrument flags, evaluation of sample integrity, test linearity, delta check and critical values were used to construct the verification algorithms.
RESULTS: An autoverification algorithm was constructed; delta check values were calculated and defined, as well as automatic verification ranges. The results retained for manual verification followed a flowchart prepared for this purpose.
CONCLUSION: Autoverification implementation led to a more consistent reviewing process of test results, efficiency and improved patient safety.

Keywords: algorithms; clinical laboratory information systems; laboratory test; patient safety; laboratories hospital; automatic data processing.

RESUMO

INTRODUÇÃO: A verificação automática dos resultados consiste na liberação dos resultados dos exames diretamente do equipamento, sem intervenção humana. São inseridas regras para avaliar os resultados no middleware e/ou no sistema de informação laboratorial (SIL), com base em critérios estabelecidos pelo laboratório. A autoverificação uniformiza os critérios de liberação e melhora a eficiência no processo, garantindo a segurança do paciente.
OBJETIVO: Descrever a implantação da autoverificação nos testes bioquímicos do menu de urgência no Serviço de Medicina Laboratorial (SML) do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC/UFMG).
MATERIAL E MÉTODOS: Foram configurados 26 testes bioquímicos disponíveis 24 horas por dia, plenamente interfaceados, inclusive o controle interno da qualidade. Definiram-se parâmetros e algoritmos usados para configuração do SIL e no middleware. No algoritmo elaborado para autoverificação, foram incluídos flags de equipamento, presença de interferentes na amostra, linearidade, delta check e valores críticos.
RESULTADOS O algoritmo de liberação automática de resultados, os valores de delta check, os intervalos de liberação automática e o fluxograma para liberação manual dos resultados retidos foram definidos e implantados.
CONCLUSÃO: A implantação da autoverificação nos testes bioquímicos do menu de urgência no serviço possibilitou padronização e segurança na liberação dos resultados.

Palavras-chave: algoritmos; sistemas de informação em laboratório clínico; testes laboratoriais; segurança do paciente; laboratórios hospitalares; processamento automatizado de dados.