Chronic spontaneous urticaria: cutaneous reaction and laboratory aspects

Vitor Celso M. Campos; Letícia Yassumoto; Odilon M. Almeida Filho; Roseli N. S. Antunes; Zamir Calamita
J. Bras. Patol. Med. Lab. 2016;52(2):84-90
DOI: 10.5935/1676-2444.20160020

ABSTRACT

INTRODUCTION: The chronic spontaneous urticaria (CSU) is a cutaneous reaction characterized by the formation of episodic and recurrent erythematous papules, usually pruritic, which etiology may be associated with an autoimmune response resulting from the action of immunoglobulin subclass G (IgG) of autoantibodies directed against the immunoglobulin subclass E (IgE) receptors of cutaneous mast cells or against IgE bound to mast cells. The autologous serum skin test (ASST) is a screening test that indicates the presence of these autoantibodies in patients with CSU.
OBJECTIVE: To check for differences in ASST results among patients with CSU and the control group with other hypersensitivities.
MATERIAL AND METHOD: This is a cross-sectional case-control study, in which 49 adults were analyzed, 27 with CSU and 22 with other hypersensitivity reactions. ASST, CD123, estimation of IgG bound to basophil, mean platelet volume (MPV), antinuclear antibody (ANA), thyroid-stimulating hormone (TSH), anti-thyroid peroxidase antibody (TPOab), erythrocyte sedimentation rate (ESR) and the total IgE were performed in both groups.
RESULTS: The ASST, shown positive results in 16 (59.2%) the patients with CSU and in five (22.7%) from the control group, with statistical significance. For the other variables above described, there was no statistical difference.
CONCLUSION: A higher ASST positivity was found in CSU patients compared to patients with other hypersensitivities, and further studies with larger sample are needed for better analysis of other variables.

Keywords: urticaria; skin; intradermal tests; hypersensitivity.

RESUMO

INTRODUÇÃO: A urticária crônica espontânea (UCE) é uma reação cutânea caracterizada pela formação de pápulas eritematosas episódicas e recorrentes, em geral, pruriginosas, cuja etiologia pode estar relacionada com uma reação autoimune decorrente da ação de autoanticorpos de imunoglobulinas da classe G (IgG), dirigidos contra receptores da imunoglobulina da classe E (IgE) dos mastócitos cutâneos, ou contra IgE ligadas aos mastócitos. O teste do soro autólogo (TSA) é um exame de triagem que sugere a presença desses autoanticorpos em pacientes com UCE.
OBJETIVO: Verificar se existem diferenças nos resultados do TSA entre os pacientes com UCE e os de um grupo-controle com outras hipersensibilidades.
MATERIAL E MÉTODO: Trata-se de um estudo transversal de caso-controle, no qual foram analisados 49 adultos, sendo 27 com UCE e 22 com outras reações de hipersensibilidades. Foram realizados TSA, CD123, pesquisa de IgG ligada ao basófilo, volume plaquetário médio (VPM), fator antinuclear (FAN), hormônio estimulador da tireoide (TSH), antitireoperoxidase (anti-TPO), velocidade de hemossedimentação (VHS) e IgE total em ambos os grupos.
RESULTADOS: O TSA demonstrou resultados positivos em 16 (59,2%) pacientes com UCE e em cinco (22,7%) do grupo-controle, com significância estatística. Para as demais variáveis descritas acima, não se encontrou diferença estatística.
CONCLUSÃO: Constatou-se maior positividade do TSA nos pacientes com UCE em relação aos pacientes com outras hipersensibilidades, sendo que, para melhor análise das demais variáveis, são necessários outros estudos envolvendo maior amostragem.

Palavras-chave: urticária; pele; testes intradérmicos; hipersensibilidade.