RDW as differential parameter between microcytic anemias in “pure” and concomitant forms

Januária F. Matos; Karina B. G. Borges; Ana Paula S. M. Fernandes; José R. Faria; Maria das Graças Carvalho
J. Bras. Patol. Med. Lab. 2015;51(1):22-27
DOI:10.5935/1676-2444.20150005

ABSTRACT

INTRODUCTION: Iron deficiency anemia and thalassemia minor are microcytic and hypochromic types of anemia commonly found in our environment. The correct differentiation between them is of great clinical importance, although it is often hampered by the coexistence of diseases that may alter the results of standard tests for their discrimination, in addition to the significant costs of such tests.
OBJECTIVE: The objective of this study was to investigate the discriminatory power of red cell distribution width (RDW) between iron deficiency anemia and thalassemia minor.
METHOD: Blood parameters were compared in 227 patients with iron deficiency anemia and/or thalassemia minor after diagnosis confirmed by molecular biology and HbA2 measurement for alpha thalassemia and beta thalassemia trait respectively. The frequency of alpha thalassemia trait in a population from two public hospitals of Minas Gerais was also determined.
RESULT AND CONCLUSION: RDW was able to differentiate iron deficiency anemia from thalassemia trait, what indicates that this blood count parameter is a useful tool since concomitant disorders are excluded. In addition, a high frequency of the -α3.7 mutation was observed in the study population (20.3%), justifying its investigation when another cause for microcytic anemia is absent.

Keywords: iron deficiency anemia; thalassemia trait; red blood cell distribution width.

RESUMO

INTRODUÇÃO: A anemia ferropriva e as talassemias menores são anemias microcíticas e hipocrômicas comumente encontradas em nosso meio. A correta diferenciação entre essas anemias é de grande importância clínica, embora muitas vezes seja dificultada pela concomitância de doenças que podem alterar os resultados dos exames padrão, além dos custos significativos de tais testes.
OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi investigar o poder discriminatório do índice de anisocitose eritrocitária (RDW) entre anemia ferropriva e talassemias menores.
MÉTODO: Foram comparados os parâmetros hematológicos de 227 pacientes portadores de anemia ferropriva e/ou talassemia menor após diagnóstico firmado por biologia molecular ou por dosagem de hemoglobina alfa 2 (HbA2), no caso de traço alfa ou betatalassêmico, respectivamente. Foi também determinada a frequência das talassemias menores em uma amostra populacional proveniente de dois hospitais públicos de Minas Gerais.
RESULTADO E CONCLUSÃO: Observou-se que o RDW foi capaz de diferenciar as talassemias menores da anemia ferropriva, indicando que este parâmetro do hemograma é uma ferramenta útil, desde que excluídos distúrbios concomitantes. Além disso, foi verificada uma elevada frequência da mutação -α3.7 na população estudada (20,3%), o que justifica a sua pesquisa na ausência de outra anemia microcítica.

Palavras-chave: anemia ferropriva; talassemia menor; índice de anisocitose eritrocitária.