Sediment examination of urine without physical-chemical alterations

Diego Z. Nascimento; Mayara D. Pickler; Gabriela M. Marques; Fabiana S. Trevisol; Ana Luisa O. Martins
J. Bras. Patol. Med. Lab. 2018;54(3):177-182
DOI:10.5935/1676-2444.20180031

RESUMO

INTRODUÇÃO: É a partir da sedimentoscopia do parcial de urina que muitas conclusões são tiradas pelo profissional responsável pelo diagnóstico. Por ser um exame frequentemente realizado nos laboratórios, é importante a redução dos custos e do tempo para a realização da sedimentoscopia em amostras de urina consideradas normais.
OBJETIVO: Avaliar a importância da sedimentoscopia em urinas sem alterações físico-químicas.
MATERIAL E MÉTODO: Trata-se de um estudo epidemiológico de delineamento transversal desenvolvido em um laboratório-escola a partir de laudos referentes aos parciais de urina realizados de janeiro a julho de 2017. Para comparação entre médias, foi realizado teste t de Student, qui-quadrado de Pearson e teste de correlação de Spearman. O nível de significância estabelecido foi de 5%.
RESULTADOS: Foram analisados 7.734 laudos de parciais de urinas, com 2.530 (32,7%) resultados de parciais sem alterações físico-químicas. Os pacientes tinham idade média de 39 (± 23) anos, a maior parte do sexo masculino (61,7%). Com relação à quantificação de leucócitos, 2,3% dos pacientes apresentaram número superior aos valores de referência, e com relação às hemácias, 1,7% deles ultrapassaram esses valores. Observou-se que a cada um ano de idade a mais para o indivíduo, reduz-se em 0,4 a quantidade de leucócitos encontrados nos parciais de urina sem alterações físico-químicas (p < 0,007).
CONCLUSÃO: A partir dos dados do presente estudo, conclui-se que a maior parte dos pacientes sem alterações físico-químicas não possui quaisquer alterações de relevância clínica na sedimentoscopia.

Palavras-chave: microscopia; urinálise; testes diagnósticos de rotina.

ABSTRACT

INTRODUCTION: It is from the urine sediment examination that many conclusions are drawn by the professional responsible for diagnosis. Because that is a test frequently run in laboratories, it is desirable to reduce costs and time to exam sediment in urine samples considered normal.
OBJECTIVES: To evaluate the importance of sediment microscopy in urine without physical and chemical alterations.
MATERIAL AND METHOD: This is an epidemiological study of a cross-sectional design developed at a college laboratory based on reports of urine tests performed from January to July, 2017. For comparison between means, Student’s t-test, Pearson’s chi-square test and Spearman’s correlation were done. The level of significance was 5%.
RESULTS: We analyzed 7,734 urine reports, with 2,530 (32.7%) results without physical-chemical changes. Patients had a mean age of 39 (± 23) years, most of them were males (61.7%). Regarding leukocyte quantification, 2.3% of the patients had a number higher than the reference values, and in relation to red blood cells, 1.7% of the patients exceeded these values. It was observed that the amount of leukocytes found in the urine specimens without physical-chemical alterations (p < 0.007) was reduced by 0.4 with each year of age.
CONCLUSION: From the data of the present study, one can conclude that the majority of patients without physical-chemical changes do not have any changes of clinical relevance in sediment analysis.

Keywords: microscopy; urinalysis; diagnostic tests routine.